Documento sem título
QUEM SOMOS
Conheça a ONG
Bicho Legal
 
NOTÍCIAS
Artigos e curiosidades
 
SERVIÇOS
Como podemos ajudar
 
SAÚDE ANIMAL
Alimentação, vacinação, primeiros socorros...
 
MAUS TRATOS
Como agir e quem procurar
 
GUIA PRÁTICO
Acesse e conheça nosso guia
 
     
     
 
Notícia - A grandiosidade do amor ao próximo A grandiosidade do amor ao próximo

"A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados" - Mahatma Gandhi

Em todas as cidades deparamos com grupos de pessoas dedicadas ao bem estar dos animais abandonados. Cidadãos anônimos, sem pretensão política, sem necessidade de fotos nos jornais e que na maioria das vezes utilizam seus próprios proventos para a compra de medicamentos e alimentos para saciar a fome e curar feridas dos nossos amigos rotulados de irracionais. Todos conhecem a UIPA, União Internacional de Proteção aos Animais, entidade que tem como preocupação principal o bem estar dos animais abandonados, feridos, acidentados, doentes e maltratados pelos próprios donos. Temos ainda para a felicidade dos animais jundiaienses, o GRUPO VIDA ANIMAL, SOS ANIMAIS ABANDONADOS, PROJETO BICHO LEGAL, 100% VIRA-LATA, entidades que zelam pelo bem estar das criaturas preferidas por São Francisco de Assis. Nem tudo está perdido, pois há centenas de pessoas generosas, cultas e sensíveis que além de praticarem a caridade, dão exemplo da difícil tarefa da verdadeira comunhão e da importantíssima multiplicação dos pães da solidariedade entre o homem e os animais, trabalho árduo que não implica apenas dedicação e amor ao próximo, mas e principalmente: doação de vida. Todo esse trabalho de misericórdia e compaixão muitas vezes é criticado veementemente por pessoas que não conseguem enxergar além do próprio umbigo, que não conseguem notar o sofrimento dos animais abandonados, muitas vezes jogados em beiras de estradas, portões, sarjetas e tantos outros lugares. Filhotes de animais que após serem adquiridos pelos pais para alegrar crianças, meses depois, ao notarem que o animalzinho não é de pelúcia e necessita de cuidados, optam pela atitude covarde do abandono, como se seres vivos fossem descartáveis. Com tal comportamento ensinam aos filhos que devemos nos livrar de tudo que dá trabalho. Uma atitude perigosa, pois, poderá vir a ser imitada, posteriormente, com o abandono de idosos ou ainda resultar em negligência com o trato de pessoas da família.

Para a felicidade dos jundiaienses contamos com o pessoal de entidades responsáveis, pessoas que realmente conhecem a verdadeira caridade e compaixão. A UIPA, que segundo dados fornecidos pela imprensa é responsável por 900 animais que tiveram o azar de serem abandonados pelos donos e que necessitam de atenção, higiene, limpeza, cuidados veterinários, alimentos, enfim, necessitam do amparo da população e principalmente do olhar enternecido do poder público. Precisam da idoneidade das demais autarquias, por tratar-se de saúde pública, quanto às doenças transmissíveis, principalmente a raiva. Necessitam ainda de local apropriado para o alojamento e o mais importante de pessoal capacitado para a eficácia da manutenção, sem o objetivo sórdido do sacrifício. Infelizmente, o serviço de Zoonose não conta com espaço ideal para o confinamento e manutenção de tantos animais e não há através do poder público um canil municipal com infra-estrutura para agasalhar a demanda, logo, a cidade conta com a dignificante prestação de serviços diuturno das entidades que se dedicam à causa da proteção dos animais abandonados, serviço este realizado com abnegação e perseverança para a preservação da vida. Não se trata de uma simples luta, mas sim de uma guerra social. Uma guerra contra pessoas que não alcançam a grandiosidade deste trabalho, que não conseguem enxergar o próximo e ter caridade e compaixão. Pessoas que sentem o mau cheiro dos detritos dos animais e esquecem da podridão da própria alma. Pessoas que abandonam animais trancafiados em quintais, garagens, pequenos espaços, amarados em correntes curtíssimas, sem água e comida, deixando-os perecerem de forma desumana, demonstrando uma gritante irresponsabilidade, profunda ignorância, e sem sombra de dúvidas escancarando a verdadeira irracionalidade. Pessoas que adquirem animais para exibirem pelas avenidas como forma de “status social”, como se para tanto bastasse exibir os caríssimos cães de raça. Cidadãos que criticam as pessoas que cuidam dos animais abandonados e abandonam seus animais para que outros cuidem. Esquecem que os seres humanos, se não tiverem higiene pessoal, rede de esgoto, água, sabão, pasta dental e principalmente coleta de lixo, também serão agraciados pelo mau cheiro. O problema é da sociedade em geral e não somente das pessoas corajosas que abraçam esta causa. Se uma criança pede um cãozinho, não compre, adote! Procure as entidades e leve para casa um animalzinho abandonado. Seu filho vai aprender o verdadeiro sentido do amor ao próximo e certamente crescerá um adulto equilibrado emocionalmente. Tudo é questão de exemplo, respeito e educação. Enfim, tudo é questão política e cachorro não vota! Mas, a grande verdade é que um lindo cãozinho adotado e feliz cura depressão e aniquila a solidão!

Valderez de Mello - Escritora, advogada, psicopedagoga. Autora dos livros infantis: O Besourinho Edgar e Sabidal, o Pardal Cantor, Kiko,o anjinho sem asas e O grilinho Zebedeu. valdemello@gmail.com
 
Documento sem título
Copyright © 2012 - 2014
Todos os direitos reservados