Documento sem título
QUEM SOMOS
Conheça a ONG
Bicho Legal
 
NOTÍCIAS
Artigos e curiosidades
 
SERVIÇOS
Como podemos ajudar
 
SAÚDE ANIMAL
Alimentação, vacinação, primeiros socorros...
 
MAUS TRATOS
Como agir e quem procurar
 
GUIA PRÁTICO
Acesse e conheça nosso guia
 
     
     
 
Notícia - Guia de entendimento dos sinais corporais e verbais do cachorro Guia de entendimento dos sinais corporais e verbais do cachorro

Quando convivemos diariamente com um cão, se o observarmos bem, vamos perceber que ele tenta se comunicar conosco através de latidos, rosnados, atitudes, maneira de olhar, de balançar o rabo, empinar a cabeça, virar-se de barriga para cima, etc. Mas para nós, humanos, não é fácil compreendermos os sinais corporais e verbais dos cachorros, por isso, colocaremos aqui um guia de entendimento da linguagem canina, e assim, você poderá entender um pouco melhor seu cão, que só não pode falar por questões de anatomia.

Verbalizações

Latidos

Fêmeas e machos latem de forma diferente.
Os latidos variam em volume, tonalidade (grave ou agudo), duração, número de repetições e frequência.
Latidos pausados com intervalos longos de aproximadamente 15 segundos: está pedindo algo (comida quando está com fome, entrar, sair, etc).
Latidos com intervalos de aproximadamente 3 segundos e orelhas para trás: alarme. Algo diferente está acontecendo (ruído, alguém no portão, um animal se aproximando, etc).
Latido sequencial, intercalando com rosnado: defesa de território e família.
Latido único, curto e agudo: está pedindo algo (brinquedo, comida, abrir a porta, etc);  o latido pode se repetir caso o dono não atenda.
Latidos curtos por longos períodos, dando intervalos longos ou médios: solidão, sofrimento por estar preso. Pede contato e companhia.

Rosnados

Sempre significa advertência e não necessariamente agressividade.
Rosnar com os dentes escondidos: está começando a ficar irritado.
Rosnar mostrando os dentes superiores e intercalando com latidos: Está no limite de tolerância e prestes a atacar.
Rosnada com choro: está extremamente inseguro por temer agressão iminente do dono ou de outro cão.

Outros sinais vocais

Mistura de latido com uivo – parece que está resmungando: está se queixando de algo, pode ser dor, tristeza, preocupação.
Gemido, choro e choramingo: sempre significa incômodo, sofrimento ou dor, e mais forte será, quanto maior for sua aflição e dor.
Ganido: equivale ao grito humano, diante de um susto ou de uma dor insuportável.
Suspiro: assim como o ser humano, o cão suspira quando consegue descansar ou consegue algo que desejava.
Gemido trêmulo: quando o cão sente prazer ao coçar seu ouvido ou as costas, por exemplo.
Uivo: significa comunicação com cães que possam estar distantes ou quando percebe uma cadela no cio.

Sinais corporais

Lambidas

Lambe o ar: está com dor em algum lugar que ele não consegue definir.
Lambe o chão, a cama onde deita ou um tapete: melancolia e tédio.
Lamber a pata sem parar: o cão está estressado e muitas vezes essas lambidas causam ferimentos graves.
Lambe rapidamente o queixo, a boca ou a face do cão ou de quem está perto: significa apaziguamento.

Olhar

Olhar fixamente para o outro: significa desafio, portanto, jamais encare nos olhos um cão que você não conhece.
Olhar de viés: está desconfiado.
Olhar sonolento: não está interessado.

Cauda

O abano da cauda ou rabo, nem sempre significa alegria.
Quando balança o rabo junto com todo o traseiro: alegria.
Quando está empinada: o cão está atento.
Cauda caída balançando lateralmente: o cão está tranquilo e relaxado.
Cauda caída pesadamente e parada: cão inseguro.
Cauda entre as pernas: muito medo.
Balançando forte: alegria.

Outros gestos

Pelos arrepiados na cernelha: está com muito medo.
Dormir de barriga pra cima e pernas para o alto: total segurança e confiança naquele ambiente e com as pessoas que estão ao seu redor.
Deitado com a barriga no chão e as pernas para trás: está com calor.
Afofar o local antes de deitar: gesto instintivo dos ancestrais que amassavam o capim para evitar fiapos ao deitar
Rodar em torno de si antes de evacuar: mesma conotação de amassar o capim. Ato instintivo para que nada o incomode neste momento.
Cutucar com o focinho: quer sua atenção .
Morder o calcanhar: é uma brincadeira. Ele não quer que o outro se retire do ambiente.
Frente abaixada, traseiro levantado e olhando fixamente: está convidando para brincar, e correr atrás dele. Infelizmente muitos donos, por não entenderem esse gesto, acabam agredindo o cão.
Cheirar o traseiro de outro cão: é reconhecimento, equivalente ao nosso apertar de mãos e ao “muito prazer”.
Virar de barriga para cima: significa submissão. Muitos cães, diante do iminente ataque do outro cão viram-se imediatamente de barriga pra cima, fazendo com que o outro cão recue.
Montar em um cão do mesmo sexo ou nas pernas das pessoas. Não tem significado sexual nem quer dizer que o cão está com “desejos”. É apenas um ritual de liderança. Quando o cão faz isso significa que quer se impor sobre você ou o cão e está dizendo que quem manda ali é ele.
Cheirar o chão: passatempo preferido dos cachorros.
Mordiscar: um gesto de carinho. É como se você pegasse a mão de outra pessoa e ficasse fazendo carinho. Como os cães não têm mão, usam a boca para segurar.

É um desejo antigo do homem entender e poder se comunicar com os cães. Esse artigo já é um bom começo para você começar praticar com seu cachorro. Boa sorte!


(Reportagem de 16/04/13, publicada no site: http://www.enciclopets.com.br/guia-de-entendimento-dos-sinais-corporais-e-verbais-do-cachorro/)
 
Documento sem título
Copyright © 2012 - 2014
Todos os direitos reservados