Documento sem título
QUEM SOMOS
Conheça a ONG
Bicho Legal
 
NOTÍCIAS
Artigos e curiosidades
 
SERVIÇOS
Como podemos ajudar
 
SAÚDE ANIMAL
Alimentação, vacinação, primeiros socorros...
 
MAUS TRATOS
Como agir e quem procurar
 
GUIA PRÁTICO
Acesse e conheça nosso guia
 
     
     
 
Notícia - Toxoplasmose: O gato é o vilão? Toxoplasmose: O gato é o vilão?

O QUE É TOXOPLASMOSE?

A toxoplasmose é uma doença infecciosa causada por um protozoário (Toxoplasma gondii), que pode não causar sinais (forma assintomática) na maioria dos casos, até mesmo sem causar nenhum dano, caso o hospedeiro não esteja com imunidade baixa.

O protozoário invade principalmente as células do sistema nervoso e muscular de animais (cães, gatos, coelhos, lebres, aves, suínos, gados, ratos, cobaias, lagartixas, lagartos, baratas, etc.).

A ingestão da carne crua ou mal cozida de animais infectados é uma forma de se pegar a toxoplasmose, já que o parasita se aloja nos músculos dos animais contaminados.

Apenas 10% das pessoas saudáveis apresentam sintomas, sendo o principal a presença de ínguas, geralmente no pescoço. Febre, dores musculares e articulares, comprometimento da visão, dor de cabeça e garganta e manchas pequenas e vermelhas pelo corpo podem ser outros sinais da toxoplasmose.

A doença pode ser transmitida pela mãe durante a gestação (toxoplasmose congênita).

Esta doença permanece dormente após certo tempo de infecção podendo, mesmo que raramente, voltar em situações de baixa imunidade.

QUAL O PAPEL DO GATO?

O gato está relacionado com a produção e eliminação dos oocistos (ovos) e perpetuação da doença. Ele come os cistos que estão nos tecidos dos ratos, lagartixas, pássaros e baratas, e passa a eliminar nas fezes os ovos (oocistos). Estes ovos têm que “amadurecer” (esporular) no meio ambiente antes de se tornarem infectantes; este processo demora de 1 a 5 dias após a excreção, dependendo da temperatura e umidade do meio ambiente.

Os gatos, após terem se infestado pela primeira vez, desenvolvem imunidade e em uma nova contaminação não eliminam mais oocistos, o que pode durar até 6 anos. Acredita-se que só 1% da população felina esteja eliminando oocistos.

Os gatos têm o hábito de limpar-se, não deixando restos de fezes pela pelagem, e enterram seus excrementos. A possibilidade de contaminação dos seus proprietários é mínima ou inexistente. Acariciar um gato ou tê-lo como animal de companhia não representa perigo. Mordidas ou aranhões do gato também não transmitem toxoplasmose.

A contaminação no homem acontece principalmente devido ao consumo de leite cru (sem pasteurização), fundamentalmente de cabra e de vaca, carne de coelho, carne crua ou mal cozida, de boi e principalmente de suíno, salsichas, lingüiças que não são fiscalizadas (aquelas trazidas do interior, feitas artesanalmente e que tanto apreciamos), água contaminada em lugares onde não há saneamento básico, areias e terras contaminadas com fezes de animais doentes.

Gatos doentes com Leucemia felina ou AIDS felina podem ter a toxoplasmose de maneira mais grave, porém não conseguem dar início a uma nova eliminação de oocistos.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é feito por um exame de sangue conhecido como sorologia, que diz se temos ou não anticorpos para a doença (anticorpos são substâncias produzidas por nossas células de defesa quando encontram o parasita e é medido em títulos).

Um teste positivo para toxoplasmose de um gato ou de uma mulher não quer dizer que esteja doente, pode simplesmente significar que você teve contato com o parasita; somente com a repetição após 2 a 4 semanas e aumento deste titulo significa que estão doentes. Um título só significa que provavelmente estejam imunes.

COMO ME PREVENIR?

Gestantes e pessoas com a imunidade baixa (AIDS) devem ter cuidado com a alimentação, limpar a caixa de areia do gato diariamente ou em último caso usar luvas. Ao mexer com terra o uso de luvas também é indispensável.

Após manipular carnes cruas deve-se lavar bem, com água e sabão, a pia, a tábua de carne e demais utensílios. É desaconselhado o uso de microondas para o cozimento de carnes já que o calor não consegue fazer o cozimento por igual; a temperatura ideal para cozimento de carnes é 67C.

Frutas e verduras devem ser bem lavadas; não se deve experimentar carne crua ou embutidos em fase de maturação.

Para evitar que seu gato também se contamine não deixe que saia para caçar, não dê carne crua, vísceras ou ossos. Também não podemos nos esquecer de controlar as baratas, que também contaminam os alimentos.

Texto fornecido pela Médica Veterinária
Dra. Fernanda Moda Piva
CRMVSP 24873
 
Documento sem título
Copyright © 2012 - 2014
Todos os direitos reservados